Problemas Ambientais dos Efluentes Líquidos Industriais

Fontes principais de Efluentes Líquidos Industriais: a) águas ácidas de minas; b) agricultura e criação de animais; c) processos de manufatura (química, metais, papel e petróleo);

O principal problema ambiental causado pelos efluentes líquidos industriais é a poluição dos recursos hídricos, causada principalmente por:

a) Metais pesados

  • As industrias que mais contribuem são a de recobrimento de metais, curtumes, tintas e baterias;
  • A fusão de minérios é a fonte primária de arsênico, níquel e selenium;
  • Cádmio advém da manufatura de metais e da indústria química;
  • Antimônio, cromo, chumbo, cobre e mercúrio provém principalmente da manufatura de metais;
  • Cianeto é preocupante em relação a indústria de acabamentos de metais.

b) Nutrientes

  • Poluição difusa das águas naturais advinda da agricultura e da pecuária;
  •  Uso de detergentes a base de fosfatos (substituição);

c) Solventes e óleos

  • Muitos processos industriais são dependentes do uso de solventes orgânicos. Estes solventes produzem: toxicidade, redução da camada de ozônio e formação de nevoeiro fotoquímico;
  • Na indústria metal-mecânica é utilizado para remover ferrugem, graxas e outros contaminantes da superfície dos metais;
  • Exemplo de substituição: Best Lock Corporation – 94% de redução – (usava o cloreto de metileno – poluente prioritário): a) áreas limpas para armazenagem; b) redução das quantidades usadas a partir de balanço de massa; c) a solução que cobria protetivamente a superfície a ser tratada foi modificada de forma a necessitar menos solvente para remove-la.

d) Compostos orgânicos

  • Diferem dos anteriores por se tratar de um componente do produto final, enquanto solventes são componentes do processo (a perda como efluente afronta a ecologia industrial);
  • Poderão causar nevoeiro fotoquímico;
  • Muitos orgânicos vem do petróleo (reservas cada vez menores – preços cada vez maiores);

e) Ácidos

  • São usados largamente na indústria química (ácidos minerais fortes), além de serem produto final de algumas outras;
  • Objetivo do engenheiro ambiental é minimizar o seu uso e neutralizar os efluentes ácidos com outros básicos;
  • Mais difícil é controlar a drenagem ácida de mina (prevenir o contato do ar e da água com a pirita).

f) Sólidos suspensos

  • Causam problemas de transparência das águas naturais, que além de pouco estéticas, as águas turvas não são lugares adequados para a vida aquática;
  • As substâncias químicas tóxicas são absorvidas ou adsorvidas por partículas finas, assim como bactérias e vírus;
  • Deve-se levar em conta os problemas acarretados pelo assoreamento dos cursos d’água;
  • Para tratar água turvas, seja para uso doméstico ou industrial, é necessário uma ETA convencional.

Oportunidades de redução da poluição dos recursos hídricos:

a) segregação de despejos;

b) conservação de água;

c) mudanças no processo de fabricação;

d) reuso de esgotos municipais e industriais;

e) eliminação e descargas em batelada;

f) mudança de equipamento;

g) equalização e neutralização;

h) recuperação de subprodutos;

i) disposição como sólido; etc.

Leia Mais

O que são Produtos Orgânicos?

1) Os produtos orgânicos são produzidos sempre com a preocupação de não prejudicar o meio ambiente. A produção orgânica consegue se sustentar sem destruir os recursos naturais, seguindo os princípios da sustentabilidade.

2) Os produtores valorizam as espécies de animais e plantas da nossa natureza.

3) Todas as pessoas que participam de sua produção recebem cuidados, ganham condições dignas de trabalho e seus direitos são respeitados. O trabalho ajuda a melhorar a vida dessas pessoas.

4) Para produzi-los, toma-se muito cuidado para não destruir, nem desgastar, o solo. O solo é protegido ou recuperado para continuar fértil.

5) O agricultor orgânico não cultiva transgênicos porque não quer colocar em risco a diversidade de variedades que existem na natureza. Transgênicos são plantas e animais onde o homem coloca genes tomados de outras espécies.

6) É proibido usar agrotóxicos e outras substâncias sintéticas que possam contaminaro alimento ou o meio ambiente. Isso é bom porque, dessa maneira, esses produtos tóxicos, verdadeiros venenos, não entram no organismo das pessoas que produzem e consomem os produtos orgânicos. A saúde em primeiro lugar!

Produtos orgânicos, quanto mais frescos, melhor. Por isso, muitos consumidores preferem comprar direto dos agricultores familiares da sua região, em feiras e pequenos mercados. Também tem quem peça para o agricultor entregar uma cesta,
toda semana, em casa.  Nestes casos, os produtos são vendidos sem o selo SISORG. Mas também podem ser chamados de produtos orgânicos!

Para dar garantias ao consumidor, esses agricultores familiares devem estar vinculados a uma organização de controle social (OCS)
cadastrada nos órgãos do Governo. A organização de controle social pode ser uma associação, cooperativa ou consórcio de agricultores capaz de zelar pelo cumprimento dos regulamentos da produção orgânica.

FONTE: Cartilha_organico_ziraldo

Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Produtos orgânicos : o olho do consumidor / Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo. – Brasília : MAPA/ACS, 2009. 34 p. ; 20 cm. ISBN 978-85-99851-56-2

 

Leia Mais

Ecologia Industrial: conceito

Até meados dos anos 1950, concebia-se o sistema produtivo separado do meio ambiente, portanto, os problemas ambientais situavam-se fora das fronteiras do sistema industrial. Sob esse ponto de vista, os estudos se focalizavam nas conseqüências da poluição na natureza e seus impactos ambientais, não, nas causas. Atualmente esta forma de encarar o problema é chamada de “tratamento de final de tubo” (em inglês, end-of-pipe) (ERKMAN, 1997).

O termo Bolsa de Resíduo busca o mesmo ideal que a Ecologia Industrial, a qual é definida por Araujo et al. (2003) de várias formas:

  1. É uma metodologia sistêmica, abrangente, que possui uma visão integrada de todos os componentes do sistema industrial e seus relacionamentos com a biosfera;
  2. Enfatiza o substrato biofísico das atividades humanas, isto é, os complexos padrões do fluxo de material dentro e fora do sistema industrial, em contraste com a abordagem atual, que considera a economia em termos de unidades monetárias abstratas;
  3. Considera a formação de parques industrias (eco-redes) como um aspecto chave para viabilizar o ecossistema industrial;
  4. Leva em conta os limites da capacidade de carga do planeta e da região;
  5. Induz o projeto e a operação, a modelar-se como as atividades dos sistemas biológicos (mimetismo), otimizando o ciclo de materiais de forma a aproximar-se de um ciclo fechado, utilizando fontes de energia renováveis e conservando materiais não renováveis.

Assim como a Bolsa de Resíduos preconiza (FONSECA, 2002), a Ecologia Industrial estuda os fluxos de matéria e energia dentro e fora da indústria, busca uma forma de fabricação de produtos onde não há (ou é mínima) a produção de resíduos, uma vez que os materiais que não são aproveitados no próprio processo ou indústria passam a ser insumo de outros. A figura 3.1 mostra a otimização dos fluxos de materiais/energia devida à formação da rede. Os fluxos de produto não estão representados na figura, mas somente aqueles que caracterizam uma eco-rede (ARAUJO et al., 2003).

FONTE: ESTUDO DA VIABILIDADE DA IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE BOLSA DE RESÍDUOS INDUSTRIAIS NO MUNICÍPIO DE CAMPO GRANDE – MS por Daniel de Castro Jorge Silva – Trabalho de Conclusão de Curso submetido ao Curso de Graduação em Engenharia Ambiental da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul – 2008

Leia Mais

Ciclo de produção do plástico

A cadeia produtiva do plástico (ciclo de produção do plástico) abrange um conjunto de processos organizados em três gerações industriais: indústria petroquímica básica (1ª geração); produtoras de resinas termoplásticas (2ª geração) e indústria de transformação (3ª geração). Essa seqüência de etapas envolvidas no processo de transformação dos insumos utilizados na indústria do plástico tem como base inicial o setor petroquímico, no qual, a partir da extração e refino do petróleo, é produzida a nafta, matéria-prima principal para a produção das resinas termoplásticas (DIEESE, 2005).

Descrição do ciclo de produção do plástico.

FONTE: ESTUDO DA VIABILIDADE DA IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE BOLSA DE RESÍDUOS INDUSTRIAIS NO MUNICÍPIO DE CAMPO GRANDE – MS por Daniel de Castro Jorge Silva – Trabalho de Conclusão de Curso submetido ao Curso de Graduação em Engenharia Ambiental da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul – 2008

Leia Mais