O que você sabe sobre precipitação?

Precipitação é o retorno do vapor d’água para a superfície terrestre sob a forma líquida ou sólida. Esse retorno acontece por meio das chuvas, neve, granizo, orvalho, e geada.

  • Neve: vapor passa diretamente para neve.
  • Granizo: a água passa por uma camada gelada e vira gelo.
  • Orvalho: camada quente encontra a camada fria e vira água.
  • Geada: ocorre por deposição nas proximidades da superfície.

Tipos de chuva:

  1. Orográfica ou de relevo: ar úmido que encontra serras e forma nuvem ou precipita.
  2. Convectivas: são aquelas que ocorrem devido ao aquecimento desigual da atmosfera, são chuvas de alta intensidade.
  3. Frontais: são provenientes de grandes massas de ar. A duração é maior porém a intensidade é menor. Abrange áreas grandes.

Leia Mais

Mobilidade urbana faz a diferença

Se você dedica um dia na semana para seguir até o trabalho, escola, faculdade ou até mesmo para visitar amigos de bicicleta quais os benefícios que você pode ter?

Em pequena escala, reduzir o sedentarismo, fazer uma atividade física e, claro, a beleza de curtir o caminho com velocidade e sem poluir o ar.

Agora imagine isso praticado por metade dos moradores da sua cidade. Imagine isso sendo praticado por metade das cidades do seu estado. Se, individualmente, os benefícios mudam situações, na coletividade essa ação transforma.

Há redução significativa da poluição do ar, melhoria no fluxo de veículos, com a diminuição da frota, ampliação das vias e faixas de transporte alternativo, entre muitos outros benefícios.

Quanto mais desenvolvido é um país, mais alternativas seguras e ecologicamente corretas são utilizadas por seu povo.

Leia Mais

Você sabe o que é poluição?

Entende-se por poluição a alteração das propriedades físicas, químicas ou biológicas do meio ambiente, causada por qualquer forma de matéria, energia ou substância sólida, líquida ou gasosa resultante da atividade humana, bem como a combinação desses fatores em níveis capazes de, direta ou indiretamente:

  • prejudicar a saúde, a segurança e o bem estar da população;
  • criar condições inadequadas de uso do meio ambiente para fins públicos, domésticos, agropecuários, comerciais, industriais e recreativos;
  • ocasionar danos à flora, à fauna, ao equilíbrio ecológico, às propriedades físico-químicas e à estética do meio ambiente.

Leia Mais

Passos da recuperação de área degradada

Compreendida a realidade ambiental da área que se quer recuperar, seguem-se os seguintes passos:

  1. Isolamento da área: essa etapa consiste em isolar a área que se quer recuperar de animais que podem comer as mudas ou pisoteá-las.
  2. Controle de espécies exóticas: a invasão ou introdução de espécies exóticas é um problema ambiental mundial, pois ocupam o lugar de espécies nativas. É considerada uma das principais causas de insucesso em projetos de recuperação florestal.
  3. Escolha e implantação da alternativa mais adequada para sua propriedade: semeadura; poleiros artificiais; regeneração natural; plantio de mudas nativas.
  4. Acompanhamento e cuidado após o plantio: consiste nos cuidados a serem tomados após o plantio, sempre que se fizerem necessários. Envolve o combate de formigas cortadeiras, irrigação, capinas ou roçadas, coroamento individual ao redor das mudas, entre outros.

Leia Mais

Área de Preservação Permanente (APP)

São áreas onde não se pode fazer derrubadas para uso agrícola ou pecuário. Sua localização e o tamanho da área são definidos por lei e não depende da vontade do proprietário ou órgão público. São consideradas áreas de APP as matas ciliares, mangues e morros.

Fique atento!! Se a APP foi desmatada, tem que ser recuperada no mesmo local. É de responsabilidade do proprietário atual realizar a recuperação, mesmo que o outro tenha efetivado o desmatamento.

Leia Mais

Parque Nacional da Serra da Bodoquena

Localizado em uma região de belezas cênicas, o parque tem importância científica e potencial turístico, sendo considerado pelo Ministério do Meio Ambiente como uma área prioritária de conservação da biodiversidade.

Na região vivem espécies endêmicas como periquito tiribinha, raras como a margarida, e vulneráveis como o gavião-real, isso sem falar do maior felino das Américas, a onça-pintada.

O Parque Nacional da Serra da Bodoquena foi criado em 21 de setembro de 2000. É formado por duas áreas distintas bem próximas uma da outra, somando 76.481 hectares. A área norte, com 27.797 ha, parte da Bacia do Rio Salobra, e a sul, com 48.684 ha, parte da Bacia do Rio Perdido. Sua área abrange os municípios de Bonito, Bodoquena, Porto Murtinho e Jardim.

Leia Mais