Informação para um mundo melhor! Idéias para o desenvolvimento sustentável!

Random header image... Refresh for more!

Práticas sustentáveis para fazendas e zona rural

A revista Globo Rural de Outubro 2011 traz uma reportagem sobre 10 práticas sustentáveis para fazendas e zona rural, mostrando que é possível produzir alimentos, fibras e energia e obter lucro com pouco impacto ambiental.

1 – Integração Lavoura-Pecuária-Floresta
2 – Plantio Direto
3 – Descarte correto de embalagens de agrotóxicos e defensivos agrícolas
4 – Recuperação de pastagens
5 – Rastreabilidade
6 – Manejo da Água
7 – Bioenergia
8 – Manejo integrado de pragas
9 – Fixação biológica de nitrogênio
10 – Tratamento de resíduos e disposição adequada

novembro 19, 2011   1 comentário

Selos postais comemorativos de meio ambiente

Recentemente, os Correios brasileiros lançaram um selo comemorativo sobre árvores brasileiras chamado “Árvores Brasileiras – Tesouros Nacionais”. O selo foi lançado em Bonito, Mato Grosso do Sul.

Esta emissão filatélica especial é composta por quatro selos que têm como elemento comum troncos de uma mesma árvore em diferentes estágios de formação. Neles, está inscrita várias vezes a palavra “Preservação” formando um solo gramado.

O primeiro selo mostra a árvore adulta, cuja copa é composta pelos nomes de espécies de madeiras conhecidas no Brasil como Jacarandá, Cabreúva, Mogno, Peroba, Jatobá, Cedro, Imbuia, Andiroba, Ipê e Pau-Brasil. O tronco apresenta a repetição da palavra “Vida”, significando sua função de sustentar e desenvolver as espécies vegetais. Os outros selos representam as fases do crescimento da árvore.

Veja exemplo também de um selo americano comemorativo de meio ambiente sobre plantio de árvores. Estes selos são bons exemplos de educação e conscientização ambiental da população em geral, atitudes muito importantes.

Selo americano USA Go Green

novembro 14, 2011   Sem comentários

Descarte de lixo eletrônico em Campo Grande, MS

O lixo eletrônico possui grande potencial poluidor, pois em sua composição estão muitos metais pesados e componentes tóxicos. Assim, o seu descarte deve ser feito em locais que irão dar a destinação correta para cada tipo de resíduo, pois alguns podem ser reciclados e outros não.

Segue uma sugestão de onde descartar resíduos eletrônicos em Campo Grande, MS:

Onde levar lixo eletrônico em Campo Grande, MS?

novembro 11, 2011   Sem comentários

Dicas de Produtos naturais para limpeza doméstica

Existem diversas substâncias caseiras naturais que podem substituir produtos químicos agressivos usados no dia a dia da limpeza doméstica.

Isso é importante porque o uso de substâncias caseiras é mais ecológico, menos agressivo a saúde humana e ao meio ambiente, e evita a contaminação dos recursos hídricos.

Veja abaixo as dicas de produtos naturais que podem ser usados na limpeza doméstica:

- Casca de limão seca é bom para manter as traças longe de armários e roupas.

- Vinagre branco é bom para remover ferrugem, mofo, manchas no tapete, sujeira de banheiro e para tirar cheiro de peixe de utensílios. Basta diluir em água.

- Bicarbonato de sódio é bom para limpar geladeira (tirando o cheiro), garrafas térmicas, limpar o forno e limpeza em geral, pois tem ação fungicida.

- Limão espremido e gelo é bom para limpar superfícies engorduradas.

outubro 9, 2011   Sem comentários

Como jogar remédios fora? Descarte correto de medicamentos vencidos

O descarte de medicamentos se feito da forma incorreta pode trazer uma série de impactos ambientais, principalmente aos recursos hídricos, contaminando a água e o solo com substâncias químicas que podem trazer sérios danos a saúde humana e ao meio ambiente (animais e biodiversidade).

Assim, periodicamente faça uma revisão em sua caixinha de remédios, caso tenha remédios que não estejam vencidos, não usa mais e não vai mais usar, procure doá-los em asilos e instituições de caridade. Muitas delas recebem estes medicamentos.

Para os medicamentos vencidos, faça o seguinte procedimento:

- Não jogue os remédios na pia ou no ralo, pois contaminam as águas e os peixes.

- Entregue os medicamentos em postos de coleta para que sejam incinerados. Muitos postos de saúde recebem medicamentos vencidos para descarte.

- Quando não achar onde entregar, jogue os remédios dentro da embalagem no próprio lixo.

outubro 9, 2011   Sem comentários

Como resolver os engarrafamentos e o trânsito? Problemas ambientais das cidades

O trânsito e os engarrafamentos são grandes problemas ambientais dos grandes centros urbanos de todo o mundo, e são responsáveis pela morte de milhares de pessoas no mundo todo, todos os anos, devido a poluição do ar, a qual causa uma série de doenças.

Assim, diminuir o número de carros nas cidades é muito importante, e isto pode ser feito através de transporte público eficiente e de preferência não poluente, mas também através de iniciativas simples, como:

- Planeje o seu trajeto antes de sair para andar menos e poluir menos.

- Mantenha seu carro com boa manutenção, para diminuir as emissões. Principalmente se seu veículo é movido a diesel. O diesel é extremamente poluente se o motor não estiver bem regulado.

- Vá a pé ou de bicicleta para o trabalho.

- Combine um sistema de carona com os seus colegas, como o site caronetas.

Saiba mais sobre a iniciativa do Caronetas – Caronas inteligentes:

Caronetas é um site de caronas que integra colaboradores de empresas e centros comerciaiscom trajetos similares,compartilhando custos e ajudando o trânsito e o meio ambiente.

Após o cadastro e a aprovação da empresa, seus colaboradores podem se inscrever, sendo aprovados pelo e-mail corporativo ou por um responsável, aumentando a segurança. O cadastro é gratuito para a empresa e para o usuário.

http://caronetas.com.br/

Moral da história: trabalhar por cidades menos poluídas e mais limpas é um dever de todos!

outubro 9, 2011   Sem comentários

Frase de reflexão sobre meio ambiente: As abelhas

Se tirarmos as abelhas, em 50 anos não teremos mais vida no planeta.

Se tirarmos o ser humano, em 50 anos, teremos vida exuberante.

Qual planeta queremos para os nossos filhos?

Temos que pensar na sustentabilidade das nossas interações com o planeta!

Pense nisso: Você é dispensável, a biodiversidade não! Portanto se a destruir, destruirá você mesmo!

outubro 9, 2011   Sem comentários

Turismo sustentável e conduta consciente em ambientes naturais – Regras de visitação

A conduta consciente em ambientes naturais é muito importante para garantir a preservação dos ambientes naturais visitados pelo homem, como os parques e reservas naturais.

Assim, a conduta consciente em ambientes naturais é um dos componentes principais do turismo sustentável, e é muito importante seguir as regras de visitação para diminuir os impactos ambientais quando visitando ambientes naturais.

Regras de visitação em ambientes naturais:

- Antes de começar sua visita nas trilhas dos parques, entre em contato com uma agência de turismo ou o ICMBIO local (orgão gestor de parques) para verificar se existem regulamentos e normas para a visitação.

- Informe-se sobre as condições climáticas do local e consulte a previsão do tempo antes de qualquer atividade em ambientes naturais.

- Viaje em grupos pequenos, de até 6 pessoas, grupos menores se harmonizam melhor com a natureza e causam menos impacto.

- Evite viajar para áreas populares durante feriados e férias.

- Certifique-se de que você possui uma forma adequada de acondicionar seu lixo para trazê-lo de volta.

- Observe os animais a distância, não se aproxime, mantenha respeito. Não dê alimentos aos animais, eles já possuem seus hábitos e alimentação natural.

- Diminua a quantidade de lixo, deixando em casa embalagens desnecessárias. Traga TODO o seu lixo de volta, jamais queime ou enterre qualquer tipo de lixo.

- Para ir ao banheiro, leve uma Fossa Seca Ambulante (informe-se sobre sua disponibilidade com os gestores do parque, condutores e agências da região). Caso não tenha, cave um buraco com 15 cm de profundidade, a pelo menos 60 metros de qualquer fonte de água, trilhas ou locais de acampamento, e em locais onde não seja necessário remover a vegetação.

- Para lavar louça, não use sabão, e não lave as coisas em áreas de nascente, afaste-se pelo menos 60 metros das nascentes para lavar utensílios.

- Escolha as atividades que você vai realizar na sua visita conforme o seu condicionamento físico e seu nível de experiência.

- Não faça fogueiras, elas prejudicam o solo e representam grande risco de incêndios flroestais.

- Para cozinhar, utilize um fogareiro próprio de acampamento. É muito mais fácil e rápido que uma fogueira. Para iluminar utilize um lampião ou lanterna do que a fogueira.

- Ande e acampe em silêncio, preservando a tranquilidade e a sensação de harmonia que a natureza oferece.

- Deixe aparelhos sonoros e instrumentos musicais em casa.

- Trate os moradores da região com gentileza, cortesia e respeito. Mantenha porteiras fechadas do jeito que encontrou, e não entre em casas e galpões sem pedir permissão.

- Contratar passeios, hospedagem, transporte e serviços de pessoas locais colabora para o desenvolvimento social e conômico da comunidade.

- Deixe seu animal doméstico em casa.

- Para chamar a atenção de uma equipe de socorro, tenha em sua mochila um plástico ou tecido de cor forte em caso de emergência. Mas use roupas e equipamentos de cores neutras, para evitar a poluição visual e o afugentamento dos bichos.

- Não construa estruturas como bancos, mesas e pontes. Não quebre ou corte galhos de árvores, mesmo mortas ou tombadas.

- Não cate pedras, galhos, flores e conchas para levar como lembranças. Leve apenas suas memórias e fotografias.

- Mantenha-se na trilha, jamais saía dela.

- Não corte, nem arranque a vegetação ou remova pedras em locais para acampar. Acampe em locais pré-estabelecidos.

- Leve sempre itens essenciais como: lanterna, agasalho, capa de chuva, chapéu, estojo de primeiros socorros, alimentos e água, mapa e bússola, mesmo nas atividades mais fáceis.

outubro 9, 2011   Sem comentários

Importância das florestas – Estudo mostra evolução das florestas de 11 países

O texto abaixo mostra a importância das florestas e como o desmatamento é um dos grandes problemas ambientais mundiais.

Mostra também como os países desenvolvidos estão trabalhando cada vez mais na recuperação das suas florestais originais e prevenção do desmatamento, pois reconhecem a importância da floresta para a manutenção do clima e da biodiversidade, ao contrário do Brasil.

Estudo mostra evolução das florestas de 11 países – por Daniela Chiaretti – São Paulo

Jornal Valor Econômico – Pág. A7 – 7, 8 e 9 de outubro de 2011.

A Suécia tinha 56% de cobertura florestal em 1950 e hoje tem 69%. A China tinha entre 5% a 9% de florestas originais e plantadas há 60 anos, e hoje, com o intenso esforço de reflorestar, aumentou o percentual para 22%. O dado polonês era 24%, hoje é 30%. A ideia de que só o Brasil protege suas florestas e que os outros acabaram com elas para se desenvolver, argumento forte da bancada ruralista ao propor mudanças no Código Florestal, está em xeque em um estudo divulgado ontem pelo Greenpeace. O trabalho faz uma comparação do que aconteceu e o que acontece com as florestas de onze nações.

O estudo foi assinado por dois importantes institutos de pesquisa em floresta, o brasileiro Imazon e o britânico Proforest, ligado à Universidade de Oxford. Um dos objetivos era investigar “o quanto de verdade existe por trás de uma antiga crença – a de que o Código Florestal, como a jabuticaba, é só nosso”, diz o prólogo do estudo. A intenção era descobrir qual a trajetória das florestas de cada país, qual o marco legal em relação ao desmatamento e quais os incentivos para quem quer reflorestar.

Alguns países foram escolhidos porque são potências econômicas e também pelo tamanho do território, como China e Estados Unidos. A China, além do fato de ser a principal potência emergente contemporânea e ter desmatado muito até recentemente, está em curva ascendente sob o ponto de vista de cobrir de verde suas terras. Os EUA não poderiam faltar: o país desmatou apenas 1% em 100 anos, mas “é o que mais produz grãos no mundo”, lembra Paulo Adario, diretor da campanha Amazônia do Greenpeace. Também estão no estudo Alemanha, França e Japão, Índia, Indonésia, Holanda, Polônia, Suécia e Reino Unido.

Em 1948, segundo dados da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), o Brasil tinha mais de 90% de seu território coberto, diz Adalberto Veríssimo, pesquisador sênior do Imazon e coordenador do estudo. Hoje, este percentual está em 56%. “Proporcionalmente, o Brasil tem menos floresta que Japão e Suécia”, diz ele. O caso japonês é surpreendente: país pequeno e populoso, tem 69% de cobertura vegetal.

Segundo a FAO, o Brasil continua desmatando a uma taxa de 0,6% ao ano. “Se continuar assim, em 10 anos teremos perdido algo perto a 12 vezes o Estado do Rio de Janeiro”, diz Veríssimo.

O estudo mostra que a trajetória florestal dos países começa muito alta e depois há um decréscimo bastante relacionado à expansão da agricultura, diz Adario. Com a percepção de que o desmatamento prejudica a própria produção agrícola, ocorre pressão da sociedade e a curva muda de direção. Entre os 11 países analisados, apenas a Indonésia prossegue desmatando. “O Brasil não estabilizou o desmatamento, continua caminhando ladeira abaixo”, diz ele. “Temos que discutir exatamente isso: o Brasil quer ser moderno e manter floresta ou o quê?”

“O estudo é uma contribuição ao debate”, diz Adario. “Mas o debate esteve marcado por premissas falsas, que, de tanto repetidas, viraram verdadeiras.” Uma delas é que o marco legal brasileiro amarra os proprietários, a agricultura nacional e que o País é único no mundo a proceder assim, diz. “O trabalho do Imazon-Proforest demonstra que isso não é verdade.”

Ele lembra que, na França, a conversão de florestas em terras particulares tem de ser justificada, e só pode ocorrer em áreas de até quatro hectares. Na Índia, onde quase todas as áreas florestais são estatais, uma decisão do governo central não pode ser revertida pelos Estados. O Código Florestal japonês não permite a conversão de florestas estatais ou privadas, exceto em casos muito específicos e raros. No Reino Unido, derrubar floresta para a agricultura não é permitido. A lei florestal chinesa, no geral, impede que florestas sejam suprimidas para dar lugar à mineração ou projetos de infraestrutura.

outubro 9, 2011   Sem comentários

Arborização Urbana: importância e escolha das espécies de árvores

A arborização urbana é fundamental para garantir o conforto e bem-estar de quem vive na cidade, pois as árvores funcionam como um filtro ambiental, reduzindo a poluição atmosférica, amenizando o calor, diminuindo a insolação e a velocidade dos ventos, e abafando ruídos.  As árvores também contribuem no combate à erosão e servem de abrigo e alimento para as aves.

Segundo a Associação Brasileira de Arborização urbana, Para a escolha da espécie adequada ao plantio em vias públicas (ruas e calçadas), a árvore deve ter características como:

  • Estar adaptada ao clima do local;
  • Ser preferencialmente uma espécie nativa da vegetação local;
  • Possuir porte adequado ao espaço disponível;
  • Não apresentar princípios tóxicos ou alérgicos;
  • Devem-se evitar espécies que necessitem de poda frequente, que tenham tronco frágil, caule e ramos quebradiços.

A escolha correta das árvores é importante, porque evita que elas causem problemas para a infra-estrutura do meio urbano, como as redes de água e esgoto, a rede elétrica, o calçamento das ruas e a circulação de pedestres e carros.

Ajude a cuidar das ávores da sua cidade, regue as mudas plantadas nas calçadas nas épocas das chuvas. Plante uma árvore na sua calçada seguindo as orientações para escolha correta das árvores.

Arborização urbana é importante porque aumenta a qualidade de vida e a saúde pública da população!

setembro 7, 2011   Sem comentários