Informação para um mundo melhor! Idéias para o desenvolvimento sustentável!

Problemas Ambientais: causas, efeitos e soluções.

Gatos que deixam marca de urina em casa

Há muitos donos de gatos que aparecem com a queixa de encontrarem marcas de urina em vários locais da casa. Nestas situações, e em primeiro lugar, há que definir muito bem se se trata de uma verdadeira marcação ou de outro comportamento associado a aversão ao caixote ou à areia, a problemas orgânicos como cistites, a stress ambiental, etc. Estes problemas comportamentais têm causas muito distintas e, assim, tratamentos diferentes.Tratando-se de uma marcação territorial, a quantidade de urina é menor e em superfícies verticais, sendo que este problema surge principalmente em machos não castrados, e a resolução do problema passa de facto pela castração do animal. Nas restantes situações a castração, por si só, não resolve o problema e, nesses casos, existem dois dos aspectos fundamentais da terapêutica comportamental que devem ser realizados: a criação de uma zona segura e de um enriquecimento ambienta.- A zona segura é um local onde o animal se pode esconder, de onde nunca é retirado nem manipulado, perto dessa zona deve existir comida, água, e uma caixa de areia, e deve ser colocado um difusor de feromonas faciais, que actua como apaziguar e redutor do stress.- O enriquecimento ambiental consiste em tornar o ambiental o mais semelhante possível ao ambiente natural dos felinos. Para isso deve ser feita uma estimulação ambiental através de plataformas, onde o gato pode explorar o espaço, deve ser feita uma estimulação olfactiva, visual e através de objectos pendurados, brinquedos escondidos onde possam ser colocados pedacinhos de comida ou que contenham cat-nip (erva gateira), brinquedos com movimento e som. É de salientar que o enriquecimento ambiental deve ser proporcionado a qualquer gato que viva num apartamento.Dúvidas, Achados, Adopções e muito mais você encontra no Portal Bichos & Bichos. www.bichosebichos.comPet Shop, petshop lisboa, petshop Portugal, ração animal, ração cão, gato, peixes, pássaro, roedores, petshop online.

Mais vídeos de Problemas Ambientais.

Pedido de Instalação de mina de fosfato na nascente do rio Pinheiros em Anitápolis SC Brasil, gera preocupação em estudantes de cidades que se utilizam das águas do rio para o abastecimento e consumo.O órgão oficial de licenciamento e fiscalização ambiental do estado de Santa Catarina ao sul do Brasil, já havia emitido a licença para a implantação do empreendimento. A Ong Montanha Viva ingressou na justiça, pedindo a anulação da licença, O ministério Público Federal, aceitou a denúncia e concedeu liminar favorável, parando o empreendimento.Para reforçar os argumentos contrários, e examinar os riscos aos recursos hídricos de tal atividade na região, está sendo realizada uma audiência pública, na cidade onde o rio tem seu estuário, junto as belas lagoas antes de antigir o oceano Atlântico.Ambientalistas, políticos e técnicos, participaram recentemente de programa de TV para alertar a população dos problemas ambientais e dos risco, caso o projeto venha ser implantado, pois após esta liminar da justiça, a área que contém o minério foi vendida para a Companhia de mineração VALE. Com o empreendimento nas mãos desta grande mineradora, cresce o temor na população que a VALE recorra a justiça para retomar ao projeto.
Colégio Espaço Debate Fosfateira ECOTV00019
Lanquinos obtuvieron respuesta de ESSAL. Luego de la reunión sostenida en la alcaldía se concluyó levantar hoy una mesa de trabajo integrada por tres representantes: El supervisor de operaciones del área norte de Essal, Eugenio Sánchez, un actor técnico municipal y un representante de la ciudadanía. Ellos se reunirán en la Oficina de la Unión Comunal, donde evaluarán las mejores soluciones incluyendo el tema medio ambiental y el plan de inversión que permita anticiparse a los problemas. El gerente técnico también tranquilizó a los vecinos comprometiéndose a entregar una solución de emergencia a las familias más afectadas.
Essal responde urgencia comunal en Lanco_MUNILANCO
-A TAMPA É FEITA DO QUE?-DE AÇO...-MESMO PEGANDO FOGO NO TANQUE, VC CONSEGUE SUBIR EM CIMA DA TAMPA PRA ESTAR APAGANDO O FOGO QUE ESTÁ PEGANDO FOGO EMBAIXO.-DOUGLAS, COMO É FEITA A VEDAÇÃO DA TAMPA DE CIMA?-A VEDAÇÃO? ... NÃO É VEDADA.-E SE CHOVER?-NÃO TEM PROBLEMA
Engenheiros Ambientais no começo
Unas tecnologías aplicadas de fabricación proporcionan un producto que, a través de múltiples sistemas de control de calidad, resultan superiores al estándar de pantallas de LED que actualmente se encuentran en el mercado.Todos los productos son el resultado de la ejecución de proyectos industriales. El diseño único utilizado en la producción, garantiza su trabajo en las condiciones más adversas (según los requisitos del IP65), con la posibilidad de una inmersión completa en el agua, funcionando perfectamente en las áreas de máxima precipitación,  bajo las temperaturas más extremas (de -30º C a +50º C) y en funcionamiento durante las 24 horas los 7 días de la semana. Nuestras pantallas están diseñadas y fabricadas específicamente para funcionar más de 100.000 horas.  Las pantallas están trabajando sin ningún fracaso, incluso en las condiciones de tráfico y sobrecarga física. Estas condiciones se ofrecen en nuestras series de pantallas sin ningún incremento en su precio.En nuestras  pantallas se utiliza un sistema de dos niveles de calibración del brillo  Uniformity 2, el cual permite mejorar significativamente la calidad de la imagen mediante la eliminación de la variación en el brillo sobre todos los diodos de LED. Como resultado de las soluciones tecnológicas, se ha logrado una luminiscencia muy alta en todos los campos de la pantalla (hasta un 99,5%) con presencia simultánea de calibración del balance en el color a una determinada temperatura en el color blanco.Las video pantallas están especialmente diseñadas incluyendo un ajuste automático del brillo dependiendo del nivel de la luz ambiental. A través de la utilización de más de 250 matices de brillo, estos cambios tienen lugar sin problemas y de forma que inapreciable por el espectador. La aplicación de esta tecnología aumenta la comodidad para ver imágenes y videos con diferentes tipos de iluminación: desde la luz solar directa hasta la total oscuridad, ahorrando hasta un 30% de la electricidad consumida, y aumentando considerablemente la vida de los diodos de LED, dejando la pantalla funcionando en un modo óptimo de luminiscencia.Los productos contienen un sistema inteligente de monitorización y de protección preventiva. En las video pantallas se utiliza una fuente de alimentación inteligente con un corrector del coeficiente de potencia, el cual proporciona una amplia gama de tensión para su alimentación: desde 264V hasta 90V, con una frecuencia de 50-60 Hz y equipado con un sistema de protección preventiva y automática para el  diagnóstico de la situación. Junto con el sistema de corrección sinusoidal de entrada y el factor de potencia, la estabilización de la tensión de salida de cada módulo de la pantalla es un dispositivo absolutamente seguro y fiable.Los módulos de LED tienen un tamaño de 40cm x 40 cm, que proporcionan una mayor flexibilidad para el posible tamaño y formato de las vdeo pantallas. A diferencia de otros módulos ofrecidos por otros competidores, las unidades de volumen de nuestras pantallas se encuentran entre las más manejables desde el punto de vista técnico para las diversas aplicaciones posibles.Nuestras pantallas están consideradas entre las mejores en el mundo por el grosor, sólo 9 cm, y el peso del módulo, 37,5 Kg/m2 para exterior y 32 Kg/m2 para interior. Otras pantallas en el mercado tienen un espesor de 15 a 80 cm y un peso de 50 a 100 kg / m 2, debido a la utilización de una tecnología de gabinete más pesada. Su pequeño espesor permite configurar nuestras pantallas incluso en los campos de aplicación más difíciles.
SigmaPlus - Pantallas de LED grandes
Se analizan las diversas posturas entorno a los desastres naturales como problemática ambiental
Los Desastres Naturales: ¿Problema ambiental de Latinoamerica?
 
Un grave problema en Perú, dicen que el país está creciendo, pero no solo se trata de estadisticas, tambien debemos crecer nosotros y dejar de hacerle mal a el lugar donde vivimos
CONTAMINACION EN EL RIO RIMAC
Abra Pampa es la ciudad cabecera del departamento de Cochinoca, en la provincia argentina de Jujuy.Es un centro de servicios de la Puna, la 2º población en importancia de la región, luego de La Quiaca de la que se encuentra 73 km al sur, por la RN 9, pavimentada, que también la comunica con la capital provincial, distante 224 km.Se encuentra situada en la entrada meridional de la gran altiplanicie conocida como la Puna Argentina, al pie de cerro Huancar.La localidad fue fundada el 30 de agosto de 1883 como nueva capital del departamento, 22 km al este del antiguo pueblo de Cochinoca.Si bien de acuerdo a fuentes periodísticas recientes (revista Rumbos 1/ago/2004) tendría 16.000 hab., el censo INDEC de 2001 le asigna 7.496 hab. al área urbana y 9.425 hab. a todo el municipio.Abra Pampa es nexo de unión entre la Puna, las selvas y los valles, Abra Pampa es una ciudad netamente comercial, pese a esto su indice de desocupación es alto.Es una ciudad cosmopolita con una población de 9.425 habitantes, su principal actividad es el comercio que se está viendo favorecido por su ubicación geográfica.La ciudad actualmente tiene un grave problema ambiental provocado por la mina, ubicada al costado de la ciudad y productora de plata y plomo. La empresa propietaria Metal Huasi SA, la cerró en 1985, y sus directivos con total actitud negligente y criminal, dejaron las escorias y sobrantes apiladas en el predio y al costado de varios barrios, como el 12 de Octubre, provocando así la dispersión de las particulas de plomo. La contaminación resultante es tan alarmante que muchos niños, presentan niveles de plomo en sangre cercanos al 30mcg/dl, cuando el maximo permitido por ley es de 10mcg/dl, aunque se ha demostrado que ya con un 5 mcg/dl alcanza para provocar distintos problemas neuronales y cognitivos. Durante 17 años, se ocultó este tema, llegando al punto de negarse, la salud publica, a entregar los resultados de los análisis a los pobladores. Recién en 2007, y varias investigaciones periodísticas mediante, la situación de Abra Pampa adquiere estado público y se cuestiona el accionar de las autoridades nacionales y provinciales. Ese mismo año, el Defensor del Pueblo de la Nación dicta una resolución [1] recomendando al gobierno de la provincia de Jujuy que se otorgue tratamiento, en forma urgente, de todas las personas afectadas. También recomienda a la Secretaría de Ambiente y Desarrollo Sustentable de la Nación que implemente las medidas necesarias para garantizar que -hasta tanto se realice la recomposición del pasivo ambiental- los residuos sean aislados en forma efectiva para que no causen más daño a las personas y al ambiente. Actualmente, la Nación cuenta con un crédito del BID para implementar un Plan de Remediación en la zona. El mismo demandará 3 años (2008-2010) y se desarrollará en conjunto con la provincia quienes, además, pusieron en marcha un plan de acciones inmediatas (fines de 2007) para atender la situación hasta tanto se inicie el proyecto del BID. El Plan de Remediación prevé -entre otras cosas- trasladar los residuos a la mina de la empresa minera Aguilar para su tratamiento, realizar una limpieza del lugar y dar tratamiento a las personas afectadas. A pesar de que las actividades ya se han iniciado, los pobladores denuncian incumplimientos y demoras en las tareas previstas.También encontramos en la localidad otras empresas (como una curtiembre) que podrian causar contaminacion debido a los residuos que eliminan del producto de sus actividades.Obtenido de http://es.wikipedia.org/wiki/Abra_Pampa
ABRAPANPA-LA PUNA -JUJUY,CANTA TOMÁS LIPÁN
La Comunidad de Verdum se encuentra en la salida a Bogotá. Es una invasión que dada su cercanía al rio se ve afectada por el nivel de desperdicios que arrojan las fabricas del sector de Malteria. UN VERDADERO PROBLEMA AMBIENTAL Y SOCIAL.
Verdum - Una Realidad En Manizales.
www.ilsabrasil.com.brO que até hoje vinha sendo um problema ambiental, agora passa a ser um benefício para a produção de alimentos. O início das atividades da Ilsa Brasil gera uma mudança radical na imagem da indústria coureira do país, porque os resíduos de couro, até aqui uma ameaça ao meio-ambiente, serão transformados em adubo que ajudará na produção de alimentos orgânicos.     A Ilsa Spa iniciou as suas atividades em Verona, em 1956. Em 1979, se transferiu para Arzignano, no coração do distrito curtidor mais importante do mundo. Isto facilitou o desenvolvimento de uma parceria para o desenvolvimento da tecnologia para a transformação de resíduos de couro em fertilizantes orgânicos, muito valorizados, especialmente na Europa. A missão da empresa é produzir e desenvolver adubos nitrogenados com elevada eficiência nutritiva para a agricultura biológica e especializada.     Em 2008, a Ilsa exportou seus produtos para 31 países de cinco continentes. É líder na Itália na produção de adubo orgânico, graças a muito investimento em tecnologia. Do faturamento total da empresa, 8% é destinado para a área de P&D. Na Itália, a capacidade de processamento é de 60 mil toneladas/ano, gerando a produção de 34 mil toneladas/ano de adubo orgânico e 62 mil toneladas/ano de adubo organo-mineral.     Esta bagagem está vindo para o Brasil, com o início das atividades da Ilsa Brasil, cuja unidade produtiva, em Portão, está iniciando as suas operações. A Ilsa Brasil é uma empresa com capital ítalo-brasileiro, constituída em 2008. O foco do investimento da Ilsa no Brasil é oferecer uma alternativa de eliminar o passivo ambiental gerado pelos resíduos de couro curtido, produzindo adubos nitrogenados com elevada eficiência nutritiva para a agricultura biológica.     A unidade de Portão tem capacidade instalada para processar 35 mil toneladas/ano de resíduos, para produzir 20 mil toneladas/ano de adubo orgânico. Isto significa condição de receber todo o resíduo dos setores de couro e de calçados do Rio Grande do Sul, resolvendo o problema de passivo ambiental das empresas fornecedoras.     A Ilsa Brasil já está recebendo resíduos de indústrias de couro e calçados. Contatos podem ser mantidos pelo fone 51 2102 6565 ou pelo e-mail: ilsa@ilsabrasil.com.br
Ilsa Brasil - Reportagem Globo Rural
educação ambiental
Aquecimento global
 
A crise econômica e os problemas ambientais são uma excelente oportunidade de redirecionamento de indústrias que operavam fora de padrões adequados ao século 21.Michael Moore, se é verdadeiro o spam recebido, faz esses comentários em relação ao esforço do governo norte americano de salvar a GM.
GM e Michael Moore
REPORTAGEM TV EDUCATIVA  SOBRE PLANTAS MEDICINAIS - FITOTERAPIA -PROJETO PIÁ NA ROÇA -PROFESSOR  DIMAS  DE MELLO BRAGA  A finalidade fundamental da educação ambiental é mostrar que tanto os indivíduos como as sociedades devem compreender a natureza complexa do meio ambiente, resultante das interações de seus diferentes aspectos: físicos, biológicos, sociais, culturais, econômicos, etc., e adquirir os conhecimentos, os valores e as habilidades práticas para participar responsável e eficazmente na prevenção e solução dos problemas ambientais e na gestão da qualidade do meio ambiente.A exploração extrativista vem contribuindo para erosão genética das espécies animais e vegetais, ameaçando-as de extinção. No caso das plantas medicinais o extrativismo tem alcançado altos níveis de depredação, colocando em risco de extinção um grande numero de espécies, inclusive catalogadas pelo Ibama. O grande desafio é conseguir manter essa diversidade de plantas, contribuindo para evitar a erosão genética, ou seja, processo de perda da riqueza genética da flora medicinal ou alimentar (Mooney, 1987). A medicina tradicional, conceituada como práticas baseadas em crenças, sendo parte da tradição de cada país, onde passa de uma geração a outra, tem sido difundida pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como um pilar essencial nos cuidados primários de saúde (Negrelle, 2007). O conhecimento tradicional sobre o uso das plantas é vasto e é, em muitos casos, o único recurso disponível que a população de países em desenvolvimento tem ao seu alcance. As plantas usadas como remédio quase sempre tem posição predominante e significativa nos resultados das investigações etnobotânicas de uma região ou grupo étnico (Pasa, 2005). O objetivo deste projeto foi levar os professores, alunos e seus familiares, a refletir sobre a importância das plantas medicinais, de sua cura potencial e prevenção de doenças, incentivar a aplicação correta da medicina caseira no dia-a-dia e o uso cotidiano do remédio caseiro na comunidade, resgatar a consciência da utilização das plantas medicinais, enfim, sensibilizar a comunidade escolar para a utilização de plantas medicinais e incentivar o uso das hortaliças, ricos em nutrientes importantes para uma saúde mais equilibrada. Em tempo:-  Por incompetência da SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO  DE CURITIBA...e  desinteresse da direção a escola..o projeto  deixou de existir...ou seja  - tá dando um tempo_- essa é a outra face da Educação em Curitiba...não aparece nas propagandas  ...
PLANTAS MEDICINAIS - Professor Dimas de Mello Braga - PROJETO "PIÁ NA ROÇA" ...
Dos escuelas trabajan en un proyecto en comun, en este caso son los  problemas ambientales y sus posibles soluciones.
Ciencias Sociales: Impacto ambiental"
Conheça o site dos Vigilantes da ÁguaO Programa Vigilantes da Água Global ou Global Water Watch surgiu no Alabama/EUA, na Universidade de Auburn, e espalhou-se por diversos países como Filipinas, Equador e Indonésia. No Brasil, o Programa teve sua experiência pioneira no Vale do Jequitinhonha, região semi-árida de Minas Gerais, com o Fundo Cristão para Crianças, e iniciou no Estado do Ceará em 2006, através de projeto da Embrapa Agroindústria Tropical, de Fortaleza. Tem como objetivo geral monitorar a qualidade de fontes de água utilizadas para consumo humano, baseado na capacitação e formação de agentes ambientais pertencentes à própria comunidade, denominados Vigilantes da Água.O trabalho dos grupos de Vigilantes da Água consiste no monitoramento das fontes de água existentes nas comunidades onde estes atuam. São empregados princípios elementares de educação ambiental, como também técnicas simples e didáticas de análise da qualidade da água, por meio de oficinas de capacitação e formação, que permitem a obtenção de informações sobre possíveis problemas de poluição e degradação das fontes de água que abastecem as comunidades. Para a análise da água, eles recebem kits de monitoramento, certificados pelo programa GWW  Global Water Watch, que avalia a presença de coliformes totais e fecais na água de consumo humano.O site do programa é www.cnpat.embrapa.br/vigilantes
Vigilantes da Água - Dia de Campo na TV dia 21/11/2008
Este Spot faz parte da Campanha FALE por Saneamento Ambiental no Brasil.A inadequação do saneamento ambiental no Brasil é um dos maiores problemas do país. Com as graves desigualdades sociais do país, a população mais pobre é quem mais sofre com a ausência de políticas públicas e investimentos minimamente adequados em saneamento ambiental. Serviços essenciais à vida deixam de ser prestados, ou são prestados precariamente. Milhões de pessoas não têm acesso à água encanada e potável; ao tratamento de esgoto sanitário; e à coleta de lixo e tratamento dos resíduos em aterros sanitários.  As conseqüências desse quadro são dramáticas. Sem acesso à água encanada, a população de baixa renda usa como fonte córregos contaminados pela poluição gerada pelo lixo e esgoto. Assim, ocorre a proliferação de insetos e ratos e a exposição dessas pessoas a diversos tipos de doenças, fazendo do saneamento, no Brasil, um problema de saúde pública! Ademais, a poluição e a falta de um sistema adequado de saneamento causam enchentes, soterramento de casas e desmoronamento de encostas.  O relatório de Desenvolvimento Humano de 2003, divulgado pela ONU, mostra que a situação do saneamento no Brasil é péssima, atrás da Colômbia, Malásia, Bielorússia e apenas uma posição à frente da Bósnia Herzegovina, um país recém saído de uma situação de guerra.  O Brasil é apontado como parâmetro de iniqüidade, ao lado da China, Índia e México: todos, países citados como economias em crescimento, mas que deixam à margem regiões de intensa pobreza.  Não há meio ambiente saudável enquanto persistir tamanha desigualdade social. Portanto medidas urgentes precisam ser tomadas em relação ao saneamento ambiental. Pelas projeções iniciais, o país não conseguirá atingir as Metas de Desenvolvimento do Milênio, para 2015, nas questões referentes ao setor.
FALE - Saneamento ambiental
 
Vídeo elaborado e apresentado junto com o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) de Saulo de Oliveira Folharini, curso de Geografia, Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de São José do Rio Pardo-SP, diagnosticando os problemas ambientais existentes na microbacia do córrego Monte Alegre, município de São José do Rio Pardo-SP.
Caracterização Ambiental da microbacia do córrego Monte Alegre
CLAN OZONO PROTECCIÓN AMBIENTAL VOLUNTARIA APROVECHA LA VICITA DEL VICEMISNITRO PARA FORMULAR TODOS LOS PROBLEMAS
PROTESTA PACIFICA
problemas ambientais
rio anil são luis MA - parte 04 P/ DARA BEATRIZ
El Cuerpo Académico Observatorio Regional Córdoba Orizaba (CAORCO), inicia actividades en el 2006 con profesores-investigadores de la carrera de Sociología del Sistema Abierto  de la Universidad Veracruzana, desarrollando la Línea de Generación y Aplicación del Conocimiento denominada:  Desarrollo Municipal Sustentable.Para la difusión e intercambio de avances de investigación se implementó el Foro: Sociología,   Educación y Nuevas Tecnologías en 2006. En el 2008  se realizó el I Foro de Desarrollo Local Regional Sustentable, cuya preocupación se centró en  los problemas emergentes que a nivel mundial, nacional y regional afectan múltiples aspectos del desarrollo tales como: contaminación ambiental, agotamiento de recursos naturales, pobreza, desempleo, migración, o la pérdida de los derechos humanos de los diversos actores sociales. El Objetivo fue la reflexión académica y el impulso de  acciones encaminadas a promover  la participación de la ciudadanía de  los distintos actores sociales. El II Foro de Desarrollo Local Regional Sustentable: Cultura, Identidad y Globalización  pretende abordar problemas sistémicos, entre los que destacan la crisis medioambiental, migración trasnacional, movimientos sociales  emergentes. Los problemas enunciados, han llevado al resquebrajamiento o mutaciones  de la familia, grupos domésticos y las redes tradicionales de interacción, así como el debilitamiento  de las estructuras comunitarias e identitarias.
Promo del Segundo Foro de Desarrollo Sustentable sobre Cultura, identidad y globalización
GRUTA DOS BREJÕES....MORRO DO CHAPÉU BAA Área de Proteção Ambiental  APA Gruta dos Brejões/Vereda do Romão Gramacho - criada pelo Decreto Estadual nº 32.487 de 13/11/1985, está localizada na Chapada Diamantina setentrional, e abrange parte dos Municípios de Morro do Chapéu, João Dourado e São Gabriel, numa área total de 11.900 ha . Essa APA é a mais antiga do Estado da Bahia, foi criada para preservar o região da Gruta dos Brejões e da Gruta da Igrejinha, locais de extraordinárias formações geológicas.2. Características GeraisColunas calcárias, estalactites e estalagmites compõem a beleza subterrânea, principal foco para a preservação da região. A presença de grandes canyons, embelezam ainda mais o cenário onde predomina a vegetação de caatinga, com variação das matas de encostas. Rios, com o Rio Jacaré, formam belos vales que abrigam uma diversidade de animais e vegetais com um alto grau de preservação. Pinturas rupestres enfeitam as paredes das cavernas, muitas com difícil acesso, sítios arqueológicos de grande valor para o estudo da pré-história são encontrados no local. A religiosidade também faz-se presente nas grutas, marcada com o dia de Nossa Senhora dos Milagres, padroeira do lugar, comemorado no dia 15 de agosto.3. Aspectos Bióticos3.1 A FloraNa APA Gruta dos Brejões/Vereda do Romão Gramacho tem como ecossistema predominante a Caatinga, sendo que a mata ciliar faz-se presente em espécies como o Ingá (Inga sp) e a Carnaúba (Copernicia cerifera), formando, muitas vezes, veredas. Existem espécies que só são encontradas nas encostas, outras só nos vales e a explicação para essa variação é que o desenvolvimento das espécies está sempre relacionado com as características abióticas do habitat, seja ela clima, solo e etc. Flores como a do quiabento (Peireskia zehntneri) podem ser encontradas em meio a hostilidade do ecossistema da Caatinga.3.2 A FaunaA fauna da APA apresenta como principais classes as aves e os répteis, tendo como exemplos o cancã (Cyanocorax cyanopagon), um pássaro que apresenta um canto inconfundível e cobras como a cascavel (Crotalus durissus). Uma espécie ameaça de extinção, que é encontrada na APA é o veado-caatingueiro (Mazama guarizoubira), que é endêmico da região de Caatinga. Peixes, como a piranha, fazem parte da fauna encontrada na APA. Existe a ocorrência da águia-chilena (Geranoaetus melanoleucus).4. ComunidadesAs comunidades que existem na APA vivem basicamente da criação de caprinos, agricultura de subsistência. É uma região que tem um potencial, mas que ainda é pouco explorado. Existem histórias de moradores mais antigos, que contam que no século XIX, os primeiros habitantes do Povoado Brejão da Gruta eram negros fujões dos engenhos do Recôncavo, que iam amoitarem-se em esconderijos nos arredores do povoado, criando os quilombos. As cavernas serviam de refúgio.5. Conflitos AmbientaisDesmatamentos, queimadas, além de vandalismo, que acabam com pinturas rupestres datadas com milhares de anos. O manejo ilegal de fósseis, que datam mais de 10 mil anos, também é um problema a resolver-se.6. Como VisitarA Área de Proteção Ambiental  APA Gruta dos Brejões/Vereda do Romão Gramacho - fica a 550 km de Salvador, e está localizada na Chapada Diamantina e para chegar no maior município que compreende a APA, segue a Via Feira de Santana (BR-324), depois a BA-052, onde, após aproximadamente 440 km, chega-se a Morro do Chapéu.
Morro do Chapéu,Bahia... Gruta dos Brejões
 
O Peppe foi mais um dos animais que chegaram com alguns problemas de comportamento para nós. Hoje ele começou o treino de vocalizações diferentes para nos ajudar em aulas de educação ambiental e sensibilização das pessoas para todos lutarmos por um mundo melhor.Para conhecer mais do Peppe e dos nossos outros animais visite: http://www.beanimal.com.br
Conheça o Peppe, o papagaio do Congo da BEAnimal
Este é o vídeo que esta passando nos EUAAGORA A AMAZONIA NÃO É DO BRASIL??? É DO MUNDO? Você até pode achar que o problema não é seu, mas isto não é verdade. O futuro do País é o futuro dos nossos filhos.Paises interessados nas riquezas amazônicas estão investindo pesado, a muito tempo, numa propaganda  cujo teor é uma mensagem de que a Amazônia não pertence ao Brasil, mas ao mundo (leia-se USA). Fala-se em preservação ambiental, minorias étnicas, terras de índios, mas o que já não conseguem esconder é a sua sede de apropriação indébita, de usurpação, de conquista.Veja, por exemplo, os recentes exemplos da defesa americana do Kuwait, a invasão do Iraque, guerra do golfo, etc. Os EUA não estão preocupados com a defesa das liberdades dos povos, mas sim com o petróleo que jorra no oriente. Com a Amazônia não é diferente. Eles não estão nem ai como os índios ou com a preservação. Apenas com a riqueza incalculável de nossas terras.Infelimente o governo brasileiro adotou uma politica insana e caótica com relação aos indios e a própria Amazônia. Parece não enxergar o óbvio.A politica externa brasileira é uma lástima: cite-se o exemplo a tímida reação brasileira diante do golpe de mão que os bolivianos deram nas refinarias da Petrobrás. O Paraguai  agora quer fazer o mesmo, com relação a Itaipú. Não podemos deixar que o governo entreguista prossiga dilapidando o futuro dos nossos filhos. O mínimo a fazer é divulgar, discutir e fiscalizar o governo que pagamos para nos proteger.
Este é o vídeo que esta passando nos EUA
O vídeo, produzido em 2004, retrata a realidade vivida pela população da cidade de Campos do Jordão, interior de São Paulo. Como fio condutor, a lenda dos três pinheiros conduz a história da incansável busca por riquezas no alto da Serra da Mantiqueira. É um vídeo de desabafo e, ao mesmo tempo, de valorização da cultura local. Afinal, muitas pessoas conhecem apenas as belezas da cidade, mas fecham os olhos aos muitos problemas enfrentados pela população todos os dias. A famosa Suiça-Brasileira ainda está muito longe da qualidade de vida europeia. E, assim, como outras tantas cidades pelo Brasil, uma urgente reestruturação de ideias e ações é necessária para o desenvolvimento social e ambiental do país. Que este filme, feito por jovens jordanenses e taubateanos, possa servir de inspiração para estas transformações.
Campos do Jordão por outro ângulo
TVE divulga a participação do diretor-geral do INGÁ, então Secretaria de Recursos Hídricos, Júlio Rocha, na Bienal do Livro da Bahia. Júlio esclarece que O Diálogo das Águas é uma conversa entre o ambiente e o ser humano. Além da escassez e das mudanças climáticas, um dos graves problemas é a poluição, que compromete a qualidade das águas. Graças as ações do INGÁ e do Governo Estadual, a Bahia tem avançado no quesito preservação e ação responsável no manejo da água. Na ocasião, o INGÁ lança o Caderno de Educação Ambiental, com o objetivo de levar informação aos cidadãos baianos sobre a importância da conscientização ambiental.
18.04.2007 Júlio Rocha, diretor geral do INGÁ participa da Bienal do Livro
Temporada 1, capítulo 5. Juan Carlos Bodoque alerta sobre los peligros de la contaminación acústica en las ciudades, sobre las causas del problema y algunos consejos prácticos para reducirlo.
31 minutos - La nota verde 5: contaminación acústica
 

Categorias