Informação para um mundo melhor! Idéias para o desenvolvimento sustentável!

Problemas Ambientais: causas, efeitos e soluções.

Gatos que deixam marca de urina em casa

Há muitos donos de gatos que aparecem com a queixa de encontrarem marcas de urina em vários locais da casa. Nestas situações, e em primeiro lugar, há que definir muito bem se se trata de uma verdadeira marcação ou de outro comportamento associado a aversão ao caixote ou à areia, a problemas orgânicos como cistites, a stress ambiental, etc. Estes problemas comportamentais têm causas muito distintas e, assim, tratamentos diferentes.Tratando-se de uma marcação territorial, a quantidade de urina é menor e em superfícies verticais, sendo que este problema surge principalmente em machos não castrados, e a resolução do problema passa de facto pela castração do animal. Nas restantes situações a castração, por si só, não resolve o problema e, nesses casos, existem dois dos aspectos fundamentais da terapêutica comportamental que devem ser realizados: a criação de uma zona segura e de um enriquecimento ambienta.- A zona segura é um local onde o animal se pode esconder, de onde nunca é retirado nem manipulado, perto dessa zona deve existir comida, água, e uma caixa de areia, e deve ser colocado um difusor de feromonas faciais, que actua como apaziguar e redutor do stress.- O enriquecimento ambiental consiste em tornar o ambiental o mais semelhante possível ao ambiente natural dos felinos. Para isso deve ser feita uma estimulação ambiental através de plataformas, onde o gato pode explorar o espaço, deve ser feita uma estimulação olfactiva, visual e através de objectos pendurados, brinquedos escondidos onde possam ser colocados pedacinhos de comida ou que contenham cat-nip (erva gateira), brinquedos com movimento e som. É de salientar que o enriquecimento ambiental deve ser proporcionado a qualquer gato que viva num apartamento.Dúvidas, Achados, Adopções e muito mais você encontra no Portal Bichos & Bichos. www.bichosebichos.comPet Shop, petshop lisboa, petshop Portugal, ração animal, ração cão, gato, peixes, pássaro, roedores, petshop online.

Mais vídeos de Problemas Ambientais.

Momento Ambiental - O Problema dos Celulares
Momento Ambiental - O Problema dos Celulares
¿cuál es el origen de la crisis económica? ¿ porqué los sistemas educativos, financieros , legales, sociales, educativos y bancarios están colapsando? ¿tenemos libre albeldrio? ¿qué podemos hacer para crear una realidad distinta?¿qué hacer para trascender las barreras raciales, políticas, sociales? ¿qué significa el despertar y cómo es que en el trasfondo de este colapso mundial está la crisis por la que nuestra consciencia atraviesa actualmente revalorizando hasta la raiz lo que es ser humano y vivir en este planeta?La segunda parte de este magistral documental, nos trae una visión sistémica y holística que nos lleva a entender el origen de todos nuestros problemas, la forma y estructura del sistema o la matrix y como podemos trascenderlo al  elevar nuestras consciencias, traer luz a nuestras mentes y paz a nuestros corazones, para poder tener la claridad y comprensión necesarias para poder cocrear una nueva realidad, una realidad donde haya autentica libertad de pensamiento, de sentimiento de existencia, libertad para vivir,  para ser y mostrar nuestro profundo potencial, aún latente... tal como lo dijo un gran sabio la verdad te hara libre...
17 ZEITGEIST ADDENDUM 4-13 NO MAS SECRETOS...NO MAS MENTIRAS
O presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) no Congresso Nacional, o deputado federal Valdir Colatto (PMDB/SC), ressaltou, esta semana no Plenário da Câmara dos Deputados, que a participação da sociedade é uma ferramenta importante para a definição do Código Ambiental Brasileiro. O parlamentar defende que o meio ambiente vai além das florestas, está também nas áreas urbanas e rurais:O nosso projeto 5367 que trata do Código Ambiental Brasileiro. Não é Código Florestal, porque meio ambiente não é só floresta. As questões ambientais, elas ultrapassam as fronteiras dos limites da cidade e da área rural. Não é nós castigando, colocando como inimigo do meio ambiente o agricultor que nós vamos resolver os problemas ambientais no Brasil. Ao contrário, nós temos na cidade, quando a água chega na cidade ela chega limpa e sai suja. A comida, os produtos chegam na cidade e se tornam resíduos após o uso, lixo. E vão aonde? Para o lixão na área rural! Então é preciso que a sociedade assuma esse compromisso de cada um ver o passivo e o ativo ambiental de cada um de nós. E a sociedade se envolva nesse processo, com toda responsabilidade, para que meio rural e meio urbano possam com certeza buscar uma solução, para harmonizar a questão ambiental, mas também produzir comida, alimentos para esse país. Não há como nós cuidarmos só do meio ambiente ou também só da produção. É preciso que nos equilibramos nesse processo. Valdir Colatto é autor do projeto 5367, de 2009, que institui o Código Ambiental Brasileiro com Pacto Federativo Descentralizado, projeto base da Comissão Especial destinada a discutir uma nova legislação ambiental para país. A previsão é que agora em março, o presidente e o relator da Comissão Especial do Código Ambiental, os deputados Moacir Micheletto e Aldo Rebelo apresentem o relatório final da Comissão. Reportagem, Suely Frota Assessoria de Imprensa  Deputado Federal Valdir Colatto (PMDB/SC)
Presidente da FPA defende participação da sociedade urbana
Terrorismo Ambiental   en Tingo MaríaVergüenza ajena siento cuando se habla de Tingo María por la constante contaminación del rio Huallaga, es alarmante el grado de contaminación que tiene este rio por la malas políticas ambientales de los gobiernos locales en especial la Municipalidad de Tingo María y algunas comunas distritales. Hicimos el recorrido por la rivera del rio Huallaga (Muyuna) y no fue nada agradable ver cuadros enteros de familias junto a sus niños y lo más alarmante  es que de esa agua unas 100 familias hacen uso diario para cocinar bañarse y beberlo. Dante Calderón quien  trabaja como reciclador denuncia que las autoridades nada hacen por solucionar este problema ambiental ya que votan desperdicios muy contaminantes como restos de placentas fetos o intestinos humanos productos de las operaciones que realiza el hospital, además hay guantes, frascos de medicinas y agujas contaminadas productos de los tratamientos a personas enfermas. Lo que más nos preocupa es que en estos lugares también hay niños y adolecentes que trabajan sin protección y la mayoría lo hacemos por sobrevivir pero el alcalde y funcionarios nunca se fijan en este problema. La basura con alta peligrosidad debe ser incinerada y no dejarlo expuesta a la gente y aun peor se creó un nuevo problema más grande vertiendo la basura al rio Huallaga.Es responsabilidad de las autoridades, empresas, instituciones públicas y Privadas tomar conciencia del daño que están ocasionando al ecosistema. Es hora de direccionar nuestros hábitos tercermundistas y cambiar la mentalidad individualista y depredadora -el rio  es muy grande y la basura también su efecto mortal es visible, los peces comen de todo  incluso la  basura; este río tiene gran caudal, y los residuos contaminantes esta por todas las orillas poniendo en serios riesgos la salud de la gente. Estos reclamos nunca tuvieron eco en la opinión pública ya que la gran mayoría no se hace una mea culpa somos tan ingenuos con nuestra actitud peligrosa. El resultado lo podemos ver a diario en los ríos donde se encuentra toda la basura sembrada por la ignorancia. El rio Huallaga es inmenso pero lo que se tira nunca se disuelve en todo el agua, queda concentrado en áreas pequeñas. Los peces comen su alimento normal pero contaminado con basura toxica. El rio podría deshacer todo, pero es mayor la velocidad de la contaminación que la degradación de los contaminantes.Muchas madres campesinas manifiestan su amargura é impotencia por que el rio está contaminado y sus hijos con problemas en la piel y en las orillas a se encuentra agujas, jeringas, y el más afectado de todo los abusos contra el  medio ambiente es el Distrito de Luyando quien hoy nada pueden hacer por la sordera permanente de las autoridades en general.
Terrorismo Ambiental en Tingo María
-
Boira Misterio - La Sexta Extinción - A Sexta Extinção 3
 
O Brasil está entre os maiores consumidores de garrafas pet do mundo. O material é resistente, barato e por isso ganha novos mercados a cada dia. O problema é que apenas uma pequena parte é reciclada, o que contribui para aumentar os riscos ao meio ambiente. O momento ambiental Garrafas Pet mostra hábitos incorretos e também bons exemplos de como é possível reaproveitar o material, garantir renda e preservar o planeta. Tudo passa pela consciência do cidadão, responsável pelo que é tirado e  jogado na natureza.
Momento Ambiental Garrafas Pet
trabalho feito pra escola
Trabalho de Biologia Alessandra
video by me :]
Poluição da Água
A Terceira Travessia do Tejo (TTT) em Ponte no Mar da Palha põe definitivamente em risco as populações ribeirinhas das cidades de Lisboa até Vila Franca de Xira e do arco ribeirinho da margem sul (Alcochete, Montijo, Moita, Barreiro, Seixal e Almada). O índice de assoreamento no Mar da Palha é extremamente elevado, como é bem visível nesta fotografia do Dique Vasco da Gama ( http://www.anmpn.pt/images/apvg.jpg ) dado que, o aumento de amplitude do estuário naquela zona provoca uma diminuição significativa da velocidade da água, que facilita a precipitação dos sedimentos que vêm em suspensão. Na maré baixa, no trajecto Seixal - Lisboa, existem locais onde já não passam dois catamarans um pelo o outro. Os cerca de 50 pilares da nova Ponte vão originar igual número de ilhas cujo aumento de volume ao longo dos anos provocará um efeito de Dique, potenciando a ocorrência de catástrofes com inundações das zonas ribeirinhas, em situações de caudais elevados aliadas a ventos e marés vivas equinociais. Efectivamente, dado que os caudais no rio têm vindo a aumentar fruto da diminuição das zonas de infiltração em terra ocupadas pela malha urbana, a introdução de infra-estruturas no rio que funcionam como obstáculos à corrente fará crescer significativamente o nível de assoreamento, potenciando a ocorrência de inundações devido à subida da altura da água. Este problema não foi objecto de qualquer estudo científico, nem sequer foram consultadas as entidades de referência no domínio da hidrografia, nomeadamente, o Instituto Hidrográfico. O Professor Carvalho Rodrigues, no Programa Clube de Imprensa da RTP2, através de uma experiência simples, mostra-nos os riscos que a TTT em ponte (em qualquer dos corredores) representará para as populações ribeirinhas, no caso de não vir a ser travada a tempo. A falta de rigor e superficialidade do estudo subjacente à TTT no respeitante aos seus efeitos na área molhada, é uma vergonha para a Engenharia Portuguesa, aliás bem patente no parecer sobre o Projecto emitido pelo Gabinete de Sexa. o Chefe do Estado Maior da Armada, quando afirmou  sic. Apesar do Estudo de Impacto Ambiental referir que o Instituto Hidrográfico foi contactado como entidade interessada, convém esclarecer que as solicitações dirigidas àquele Instituto não foram nesse sentido, tendo tido apenas como objectivo a cedência de dados hidrográficos publicados pelo IH. Ou seja, quem sabia da poda, quem tinha a soberania sobre os saberes, não foi consultado!Para ver a totalidade  do video do Clube de Imprensa de 2009.04.29 - Portugal, País de Descobertas? - clique neste link http://ww1.rtp.pt/multimedia/?tvprog=...
Viver à beira do Dique «Chelas-Barreiro» ou «Beato-Montijo ...
STF(Supremo Tribunal Federal)decide negar à BS Colway Pneus o direito de importar, de forma ambientalmente responsável, matéria-prima constituída de pneus usados europeus, provocam a demissão de 100% de seus funcionários e o encerramento de seus programas sociais, deixando por isso de beneficiar mais de 15 mil famílias. Confira a nota de esclarecimento:1. A BS Colway Pneus sempre importou matéria-prima da Europa porque essa é a única maneira de garantir a produção de pneus de qualidade.Segundo Nota técnica 083/2000 do Inmetro, órgão certificador de qualidade dos produtos industriais brasileiros, a utilização da carcaça do pneu usado coletado no Brasil como matéria-prima, especialmente pela indústria de pneus remoldados, é inviável face às nossas condições de uso. Em outras palavras, está mais do que provado que as péssimas condições de nossas estradas e a utilização além do limite aceitável dos pneus fabricados no Brasil tornam impraticável, pela baixa qualidade e riscos de segurança, a sua reciclagem.2. A BS Colway foi a responsável pelo único instrumento legal para promover a limpeza do lixo-pneu do meio ambiente brasileiro. Em 1998, o Presidente da BS Colway e da ABIP -- Associação Brasileira da Indústria de Pneus Remoldados, Francisco Simeão, elaborou texto que levou ao Conselho Nacional do Meio Ambiente -- CONAMA, como sugestão para a efetiva solução do problema do lixo-pneu no Brasil. Até então, tanto o IBAMA, o Ministério do Meio Ambiente e ONGs limitavam-se a denunciar o mal causado pelos pneus usados jogados na natureza, sem jamais terem se preocupado em indicar uma solução. A luta pela aprovação da sugestão mencionada deu origem à Resolução Conama 258/99, aprovada no dia 26.08.99, que estabeleceu a obrigação atual de destruir cinco pneus inservíveis coletados no meio ambiente brasileiro, para cada quatro importados ou fabricados no País. Porém, a luta da BS Colway e ABIP não acabou na publicação dessa resolução. O IBAMA se recusava a normatizá-la, o que obrigou a ABIP a ingressar com Ação Civil Pública contra o Presidente do IBAMA, o que foi contestado com sucesso pelo órgão na Justiça Federal de Brasília. Obstinadamente, a ABIP recorreu ao Tribunal da Justiça Federal de Brasília, onde, finalmente, obteve decisão obrigando o IBAMA a normatizá-la, cobrando de todos, importadores e fabricantes, seu cumprimento. Depois, em 15.03.05, a ABIP ajuizou representação criminal contra os presidentes das multinacionais dos pneus, por crime ambiental, por não estarem cumprindo a resolução e contra o Presidente do IBAMA, por crime de prevaricação, por não fiscalizar as multinacionais dos pneus. Foi somente depois que o Ministério Público aceitou a denúncia e encaminhou o processo à Polícia Federal, para interrogar os acusados, é que o IBAMA finalmente passou a fiscalizá-las, multando-as, em 2005, por não terem retirado do meio ambiente, somente até 2004, o equivalente a quase 70 milhões de pneus de automóvel.3. A importação de pneus usados europeus para serem utilizados como matéria-prima faz parte do maior e mais eficaz Programa Ambiental e de Saúde Pública já realizado por uma fábrica de pneus no Brasil.A BS Colway Pneus foi a primeira empresa a cumprir a Resolução Conama 258/99, criando, em 2001, o Programa Rodando Limpo, que levado pela Prefeitura de Curitiba à Convenção Rio +10, em Johannesburg, em 2002, como um exemplo de atividade pós-consumo, foi aplaudido pela ONU, que passou a indicar esse programa a seus países membros, tendo a Costa Rica como o primeiro país a aderir, criando lá o Costa Rica Rodando Limpia.No Paraná, no período de 2003 a 2004, foi responsável pela redução dos casos de dengue em 99,7% conforme declaração do Governador Roberto Requião, em rede nacional de televisão. Em seguida foi implementado nos Estados da Paraíba, Pernambuco e Alagoas. Até agora já foram retirados da natureza mais de 17 milhões de pneus inservíveis pela BS Colway. 4. Os pneus inservíveis coletados pela BS Colway no meio ambiente brasileiro são transformados em combustível e matéria prima de fábricas de cimento no Paraná e no Nordeste do Brasil.Os pneus inservíveis coletados previamente à importação de pneus usados de excelente qualidade da Europa, são utilizados para geração de energia nas fábricas de cimento do Grupo Votorantim e da CIMPOR, no Nordeste, substituindo o coque de petróleo, com vantagem em relação ao poder calorífico, menor índice de poluição e ainda por fornecer matéria-prima ao processo de fabricação do cimento. A 1400°C, as malhas de aço dos pneus se desprendem e se incorporam à massa de matéria-prima, substituindo o minério de ferro. 5. O fechamento da fábrica da BS Colway será provisório. A verdade será demonstrada no STF nos próximos meses. Nesta transição, as revendas BS Colway permanecerão atendendo seus clientes com a mesma qualidade em pneus e serviços, utilizando de seu estoque regulador e pelo abastecimento de pneus de excelente qualidade, importados da China
Natal Brasileiro
 
Já não é mais possível ver o leito do córrego que passava por baixo da pista. Ambientalistas e moradores da região cobram a licença ambiental.A obra começou há apenas um mês, mas já preocupa. O Córrego do Guará nasce dentro da reserva ecológica vizinha à Estrada Parque e deságua no Lago Paranoá. Nas fotos tiradas antes do início da obra, era possível ver parte córrego. Hoje, nem isso é possível. Foi tudo aterrado.A Linha Verde da EPTG é necessária para facilitar o fluxo do trânsito. Só que a gente precisa conciliar o desenvolvimento com a preservação ambiental, alerta o representante da Sociedade Amigos do Parque do Guará, Guto Gomes.Na Estrada Parque Taguatinga existe uma canalização que garante o curso das águas por baixo da pista. Mesmo assim, os moradores temem os efeitos da pavimentação da terceira via. Quando ela for asfaltada, o solo que hoje é naturalmente encharcado pode secar e, assim, o volume de água que vai para o Lago Paranoá vai diminuir.Ela está invadindo uma nascente e comprometendo toda uma bacia, que é a Bacia do Paranoá. Nós queremos saber da licença e da compensação ambiental. Por lei, devemos saber disso. Nós moramos no Guará e ainda temos um meio ambiente preservado. E por conta dessa obra, estamos nos sentindo ameaçados, reclama o vice-presidente comunitário do Guará, Walterman Gama.Por falar nisso...Em nota, o Instituto Brasília Ambiental (Ibram) afirmou que pegou o processo de licenciamento da área já em andamento. Antes, estava sobre a responsabilidade do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama). Mesmo assim, O Ibram afirmou que conhece o problema e que já pediu a recuperação do córrego e do parque ao GDF.Lanusse Martins / Lázaro Aluísio
REDE GLOBO - DFTV - Obra da Linha Verde na EPTG está soterrando o Córrego ...
Video explicativo del proyecto interdisciplinario impulsado por la CET (coordinadora escolar tecnológica) Estefanía Z. (Estefi) en coordinación con las demás áreas de la escuela trabajado durante el 2009, presentado en el acto de fin de año de Intec en representación del distrito 4º de la ciudad de Buenos Aires.  Cada grado de la escuela ha investigado en grupos un problema distinto del mundo y ha creado una producción a modo de solución .
Un mundo nuevo
Se por um lado o crescimento agroindustrial é um vetor de desenvolvimento, por outro, contribui para o aumento da geração de resíduos sólidos, que muitas vezes podem criar um impacto negativo para o meio ambiente. Um dos exemplos é a água de coco verde, que vem despontando como um produto bastante promissor no mercado brasileiro. O problema é que o aumento na produção e no consumo da água-de-coco gera cerca de 4 milhões de toneladas de casca/ano, transformando-se em um sério problema ambiental, principalmente para as grandes cidades.
Dia de campo na tv - Aproveitamento da casca de coco verde
Vídeo elaborado pelos alunos do 2º AMOR - NOITE: Emanuel, Joelma, Gerlaine, Maria José, Munique e Thais Patricia.
PROBLEMAS AMBIENTAIS - URBANOS E RURAIS
...
Problemas Ambientais
 
O CRESCIMENTO DA CONSTRUÇÃO CIVIL TEM GERADO UM GRAVE PROBLEMA AMBIENTAL AQUI NA REGIÃO DO VALE DO PARAÍBA. SEGUNDO IMAGENS DE SATÉLITE, MONITORADAS PELO INPE, A REGIÃO REGISTROU UM AUMENTO EXPRESSIVO DAS EXTRAÇÕES IRREGULARES DE AREIA. EM QUATRO ANOS QUASE 20 NOVAS CAVAS FORAM ABERTA NA REGIÃO.
EXTRAÇÃO AREIA - 15/09/2009
Versión 1 - Menos Ruido para Mi Isla Puerto RicoEste es un video educativo sobre el problema del ruido ambiental y comunitario y como podemos ayudar para no contribuir con este problema de manera tal que tengamos un mejor ambiente y calidad de vida para todos.  Cortesía de Comité Interagencial y Ciudadano ante el Ruido de Puerto Rico (CICAR).
Ruido Puerto Rico
O projeto BioUrban é fruto de parte do trabalho desenvolvido pelo artista plástico e estudante de Ciências Sociais na Pontifícia Universidade Católica, Jeff Anderson; e tem como proposta a recuperação social, ambiental e da arquitetura no espaço público urbano.O local em questão era somente usado para três finalidades: passagem entre as ruas Oliveira Lima e Silveira Campos, para o uso de drogas e como lixeira coletiva.O espaço publico no Brasil nunca foi senão algo exógeno ao contexto de vida do cidadão brasileiro. Usa-lo para praticas ilegais é decorrência histórica. Transforma-lo e ocupa-lo como extensão do próprio lar é algo desafiador que o Projeto vem aplicar e mostrar como e o quão proveitoso é para todos: Estado, Comunidade e Individuo.Mantendo fielmente a convicção grega de que não há cidade, sem cidadão tão pouco não há sociedade sem espaço publico foi que o Projeto BioUrban trabalhou e trabalha para construir e instruir novas maneiras de resolução a problemas seculares.O Brasil precisa ser reconstruído por nossas próprias mãos e vontade. Ocupando cada centímetro com especificidade individual que cada brasileiro trás consigo nessa miscigenação que compõe nosso povo. Somos cidadãos do mundo. Resultado histórico de ocupação exploratória, entretanto, em nosso tempo presente, a ocupação a ser feita é em prol da dignidade social, da desconcentração de renda, da divisão do trabalho que será realizada por meio da reapropriação do espaço publico, consequentemente da política. Ocupar é preciso.
BioUrban, reconquista do espaço - urban intervention
Apoio: http://www.novaconsciencia.com.brEstabelecimentos que vendem pilhas e baterias serão obrigados a recolhê-las, segundo a resolução do Conama. Brasileiros consomem 1,2 bilhões de pilhas e 400 milhões de baterias de celular por ano.Um problema causado pelos avanços da tecnologia: no mundo todo, 99% dos aparelhos eletrônicos, dos celulares, baterias e pilhas vão parar no lixo. Não é só desperdício, é um perigo.Palhaçada, não. O assunto é sério. Foi o jeito de chamar a atenção de quem passa pelo metrô de São Paulo. A latinha é para levar para casa e juntar pilhas e baterias velhas, que precisam ser separadas do lixo comum. Eu tenho sempre a preocupação, mas eu não sei o que fazer com elas, onde jogar, confessa a psicóloga Leni Granado.Nas agências de um banco, existem lixeiras pra recolher o material, que depois é levado para reciclagem. Isso é uma atitude muito simples, mas que causa um impacto na sociedade. Se todos colaborarem, a sociedade muda, ensina Linda Murasawa, superintendente do banco.Essa forma de coleta sempre foi voluntária. A empresa que faz, faz porque quer. Mas, agora, isso vai mudar. Supermercados, farmácias e outros estabelecimentos que vendem pilhas e baterias serão obrigados a recolhê-las também.A resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) dá um prazo de dois anos para que as lojas tenham os coletores. Os brasileiros consomem por ano 1,2 bilhões de pilhas e 400 milhões de baterias de celular.Elas contêm metais pesados como chumbo, mercúrio e cádmio. Quando pilhas e baterias são jogadas em lixões comuns, esses elementos químicos penetram no solo e contaminam os lençóis d´água, que ajudam a formar córregos e rios.No mundo, são produzidos 50 milhões de toneladas de resíduos eletrônicos por ano. Sabetai Calderoni, doutor em ciências da Universidade de São Paulo (USP), diz que o envolvimento da sociedade é importante, mas que a indústria tem que participar mais. É preciso que as indústrias cumpram seu papel e se responsabilizem integralmente pelos danos que eventualmente seus produtos causem ao meio ambiente e a sociedade, ele afirma.A Associação dos Fabricantes de Eletroeletrônicos declarou que tem participado ativamente de discussões e projetos sobre resíduos sólidos, pilhas e baterias.Fonte: Jornal Nacional
Lixo de pilhas e baterias ameaça o meio ambiente (Rede Globo)
A lenda continua: A famosa frota do Greenpeace está prestes a ganhar um grande reforço  o Rainbow Warrior III.
Rainbow Warrior Promo
 
Saiba mais em: http://www.novaconsciencia.com.brA Humanidade já esgotou a capacidade de recuperação natural da Terra e consome os recursos naturais num ritmo insustentável. O alerta está no maior relatório ambiental já realizado pelas Nações Unidas. Segundo o estudo, já são visíveis os danos para a saúde, a riqueza e o bem-estar do próprio ser humano. O mais notável, destaca a ONU, é que para a maioria dos problemas há soluções. Falta sobretudo vontade política. Por isso, o 17º Encontro da Nova Consciência, que acontecerá de 01 a 05 de fevereiro, busca levar a todos a refletir sobre o tema Cultura de paz e consciência ecológica: o futuro da vida na terra, no intuito de despertar a consciência ecológica e o engajamento na luta pela preservação do meio ambiente.  Fazer parte desta mudança não exige grandes habilidades, tampouco dons especiais e muito menos ações extremadas. Mas, é preciso querer. Um querer que começa com um gesto simples, pelo lixo que não é jogado no chão, pelo uso consciente da água, da luz, do gás e continua em outras tantas atitudes que visam não machucar ainda mais a nossa mãe Terra. Chegou o  momento em que precisamos abrir os olhos em defesa da vida. Mas isso exige compromisso, ideologia, determinação e idealismo. Atitudes e exemplos que podem ser seguidos existem vários. Mas o conformismo pela situação atual do nosso planeta é o pior inimigo. Precisamos acordar, fazer algo e o impulso para esta transformação está dentro de cada um de nós. Não há nada mais inovador do que assumir um compromisso com a vida, amando o planeta onde a ordem é adaptar-se, protegendo e retribuindo a hospitalidade. Cada um, à sua maneira, pode buscar um caminho para contribuir e tentar melhorar as condições do nosso sofrido planeta Terra! Amor e respeito à natureza e às coisas da Terra! Sem eles não sobreviveremos. Defender essa idéia não é mais uma escolha, mas uma necessidade. Na 17º versão do Encontro acontecerão vários encontros paralelos, dentre eles, Encontro sobre Homoerotismo, Encontro de RPG, Encontro de Ufologia, Encontro das Rezadeiras, Encontro de Ciganos, Encontro de Tarólogos, Encontro de Budista, Encontro de Hare Krishna, Encontro das Religiões Amigas, Mostra de Curtas, dentre outros. A programação do 17º Encontro da Nova Consciência está sendo divulgada no site www.novaconsciencia.com.br
17° Encontro da Nova Consciêcia - Comercial 30s
El objetivo general de este curso es conocer el significado de la Agenda 21 Local y su utilización como herramienta de planificación para lograr el desarrollo sostenible en el municipio o ámbito de aplicación. Para su consecución se considera necesario profundizar en los apartados temáticos siguientes, que constituyen los objetivos de aprendizaje: - El medio ambiente como sistema: Subsistemas y elementos que lo componen - El hombre y las actividades humanas. Origen de la problemática ambiental. - El desarrollo sostenible y sus componentes. - Los Ayuntamientos, como instituciones más próximas a los ciudadanos y a los problemas, instrumentos fundamentales en la gestión del desarrollo sostenible. - La AGENDA 21 LOCAL herramienta para el desarrollo local sostenible. - Metodología para la aplicación de la AGENDA 21 LOCAL: Diagnóstico municipal, Plan de Acción Local, Participación ciudadana. - El caso particular del medio rural. - Otras metodologías para la implantación de la AGENDA 21 LOCAL.
LA AGENDA DE NACIONES UNIDAS PARA EL DESARROLLO LOCAL Y MUNICIPAL SOSTENIBLE, AGENDA 21 ...
Actualmente las condiciones del Rastro Municipal de Puebla, son deplorables.Basta con ver este video para darnos cuenta de la realidad Medio-Ambiental por la que atreviesa nuestro municipio, pero aunado a esto es verdaderamente lamentable la falta de atención que la autoridad ha puesto a este problema que pone en riesgo la salud de los poblanos.
Visita al Rastro Municipal - Puebla _ viernes 5 de junio de 2009
Pueden resultar muy acogedores en invierno, en otoño y hasta quizás en primavera, ni hablar si le preguntas a cualquier indigente. Pero definitivamente, en un día de verano como el de hoy, las condiciones de temperatura ambiental, atmosférica y aeroespacial convierten nuestro viaje en un gran problema y hasta en un gran peligro.Gentileza: www.crazytests.com.ar
Calor en el subte
Video digital didactico, para trabajar el tema Problemas Ambientales, especificamente la contaminacion. Puede ser aplicado para introducir, desarrollar o culminar dicha temática.
Contaminacion ambiental. Ojo producciones
 

Categorias